Terapia EMDR

A Terapia EMDR (eye movement desensitization and reprocessing) foi desenvolvida por Francine Shapiro, nos Estados Unidos, em 1987. Esta terapia é ancorada em estudos da neurociência como um tratamento extremamente eficaz para pessoas (crianças ou adultos) que viveram experiências traumáticas. Actualmente é uma terapia aprovada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e recomendada pela American Psychiatric Association (APA) o que solidifica a sua pertinência e fundamenta os seus princípios de actuação.

O que é a Terapia EMDR?

A terapia EMDR consiste numa intervenção breve e focalizada no reprocessamento e dessensibilização de memórias passadas relacionadas com o trauma emocional e/ou com a ansiedade. Está indicada para o tratamento de transtorno de stress pós-traumático, depressão, ansiedade, pânico, compulsões, hiperactividade, medos e fobias, dor, entre outros. Além dos aspectos referidos apresenta-se também útil para uma variedade de problemas emocionais, relacionais e comportamentais.

O que é o trauma?

As experiências emocionais exercem um grande peso na vida das pessoas, algumas experiências tocam, marcam, sensibilizam, transformam e despoletam descobertas e aprendizagens. Enquanto que outras experiências são armazenadas na nossa memória com um cunho desagradável, perturbador e a sua recordação gera sofrimento emocional.

Como identificar um trauma?

A distinção é feita através da análise da história da experiência emocional e quão a pessoa percebe que a experiência é perturbadora e lhe causa dor e sofrimento. A memória traumática permanece inalterada, como se tivesse ficado congelada no tempo.  A pessoa revive o passado como se fosse no presente, com uma grande intensidade emocional e detalhes (visuais, auditivos, olfactivos, gustativos, físicos e emocionas), fazendo com que dimensão temporal não exista. Neste sentido, a pessoa não consegue observar a experiência do passado, sem experienciar emoções intensas e reviver o episódio.

Sintomas típicos (adultos):

Existem vários sinais que podem ser indicadores de trauma emocional: Recordar a experiência de forma involuntária; ter pesadelos, sonhos vividos; ter reacções desproporcionais perante pequenas coisas que fazem lembrar o acontecimento; choro fácil e sem motivo aparente; recusa persistente de pensamentos, conversas, sentimentos, locais, pessoas e situações que façam lembrar o acontecimento; distância emocional e social de pessoas anteriormente significativas; dificuldade para adormecer ou manter o sono, irritabilidade ou explosões de fúria; dificuldade de concentração; viver num estado de alerta permanente; distúrbios alimentares sem explicação aparente e sobressaltos perante estímulos neutros.

Sintomas típicos (crianças):

Não rir, não brincar ou sorrir;
Ser demasiado obediente e/ou disposta a seguir qualquer adulto;
Ser incapaz de se defender ou de protestar quando é maltratada.;
Alteração súbita de comportamento.

O que acontece no cérebro?

A memória traumática permanece inalterada principalmente no hemisfério direito, responsável pela regulação das nossas emoções, não existindo uma comunicação com o hemisfério esquerdo, o responsável pela objectividade e pela racionalidade. Será no entanto, o hemisfério esquerdo que terá as estratégias necessárias para transformar e reatribuir um novo significado à experiência emocional e diminuir a activação da memória passada, permitindo-lhe permanecer no passado e não no presente.

Procedimento da Terapia EMDR: 

A terapia EMDR através da estimulação bilateral ajudará a que a comunicação entre os hemisférios seja restabelecida e possa ocorrer o reprocessamento e dessensibilização de memórias passadas relacionadas com o trauma emocional e/ou com a ansiedade resultante da experiência emocional traumática.

A estimulação bilateral é conseguida através da utilização do movimento alternados dos olhos (estímulo visual), podendo ser alternado com o uso de estímulos sonoros e/ou tácteis.

Olá! Deseja marcar consulta?